aterramento

 

O que é aterramento elétrico?

Aterrar um dispositivo ou equipamento está relacionado a interligá-lo com a terra propriamente dita ou a uma grande massa que possa a substituir. Então quando nos referenciamos a um dispositivo aterrado estamos afirmando que pelo menos um de seus terminais estão propositalmente ligados a terra por meio de fios e cabos.

A palavra aterramento refere-se à terra propriamente dita. O aterramento é o fio ou a barra de cobre enterrado, onde passa a corrente elétrica para o solo. Quando se diz que algum aparelho está aterrado(ou eletricamente aterrado) significa que um dois fios de seu cabo de ligação está propositalmente ligado à terra. Ao fio que faz essa ligação denominamos “fio terra”.

 

O fio terra

Sempre ouvimos falar do tal “Fio Terra”, do sistema de aterramento, ou ainda do condutor de proteção. Sabemos que ele, o “Fio Terra”, é importante e que alguns equipamentos trazem um pedaço de fio verde que vem pendurado na parte traseira e que deve ser ligado em algum lugar, mas a maioria das pessoas não faz ideia onde ligá-lo e porque ele existe. Portanto, iremos apresentar e dizer para o que serve.

O primeiro passo é entender que o sistema de aterramento é constituído por um conjunto de ações e medidas de proteção que, naturalmente irão conferir segurança para as pessoas, animais e equipamentos. O fio terra dos equipamentos, por exemplo, deve ser ligado ao sistema de aterramento da instalação elétrica para que possa completar o seu ciclo de segurança. Este sistema de aterramento é composto, falando de uma forma simples, por conexão ao equipamento, condutor de proteção (o que conhecemos como Fio Terra), conexões e sistema de conexão à terra. Esta conexão pode ser traduzida pela seguinte definição:

“É a ligação intencional de um equipamento ou sistema à terra de modo a criar um caminho seguro e de baixa resistência”, ou seja, é a forma de levar o potencial do equipamento e interligar com a terra.

 

As funções

Um dos itens mais importantes de um sistema de energia elétrica é o aterramento. Ele consiste na ligação à terra que assegura a fuga das correntes elétricas indesejáveis.

 
O aterramento elétrico tem três funções principais :

1) Proteger o usuário de descargas atmosféricas através da viabilização de um caminho alternativo para a terra.
2) Descarregar cargas estáticas acumuladas nas carcaças das máquinas ou equipamentos para a terra.
3) Facilitar o funcionamento de dispositivos de proteção como fusíveis e disjuntores, através da corrente desviada para a terra.

 
Há diversos tipos de sistemas de aterramento e a aplicação de cada um depende da necessidade do sistema de energia envolvido, da região e do custo. Os principais tipos são:
 

  • Apenas uma haste cravada no solo
  • Hastes dispostas triangularmente
  • Hastes em quadrado
  • Hastes alinhadas
  • Placas metálicas enterradas no solo
  • Fios ou cabos enterrados no solo, formando várias configurações: quadrado formando uma malha de terra; em cruz; estendido em vala comum ou em estrela.

 
Mas o aterramento não é usado somente para a segurança, ele participa do funcionamento de equipamentos, estabilidade e aumento de desempenho e também de outros processos:

O sistema de aterramento participa do desligamento automático de dispositivos de proteção: um dos dispositivos mais importantes na segurança de pessoas e animais em relação à eletricidade é o DR – dispositivo Diferencial Residual. Este dispositivo, em conjunto com o condutor de proteção, desligará o circuito que apresente fuga de corrente, condição esta que pode causar o choque elétrico, não permitindo que a situação de risco aconteça; para saber mais sobre o dispositivo DR, veja A importância do quadro de distribuição.

O sistema de aterramento também participa do conjunto de proteção contra descargas atmosféricas, conhecido como SPDA. Ele (aterramento) é parte integrante do sistema para o escoamento das descargas para a terra e também ajuda no controle da tensão de passo, minimizando os efeitos;

Serve de referência para circuitos eletrônicos e digitais participando do controle de transitórios em circuitos elétricos, melhorando a qualidade da energia elétrica; É parte principal de sistemas que possam acumular cargas estáticas, pois será o caminho para escoá-las evitando que estas se tornem perigosas na geração de um arco elétrico ou mesmo um choque elétrico.

 

Por estes motivos o sistema de aterramento é muito importante em uma instalação elétrica e deve ser sempre aplicado com conhecimento. Os profissionais que atuam nesta área devem conhecer os requisitos de um bom aterramento e realizá-los de forma a conferir a melhor performance no sistema. Por isso recomendamos chamar sempre um profissional eletricista em Joinville para realizar a instalação correta e realizar um bom aterramento.

 

A importância, necessidade e obrigatoriedade do aterramento

Esteja ciente que o aterramento elétrico é, basicamente a uma das formas mais segura de interferirmos na eletricidade de maneira a proteger e garantir um bom funcionamento da instalação elétrica, além, é claro, de atender exigências de normas.

Pois Bem! Segundo a ABNT, aterrar significa colocar instalações e equipamentos no mesmo potencial de modo que a diferença de potencial entre a terra e o equipamento seja zero. Isso é feito para que, ao operar máquinas e equipamentos elétricos ao realizar uma manutenção, o eletricista em Joinville não receba descargas elétricas do equipamento que ele está manuseando, seja por corrente de falta (fuga para massa) ou por descarga eletrostática.

É obrigatório que todas as tomadas tenham o seu fio terra. Normalmente elas já vêm com o fio terra instalado, seja no próprio cabo de ligação do aparelho à tomada, seja separado dele. No primeiro caso é preciso utilizar uma tomada com três polos onde será ligado o cabo do aparelho.

No segundo caso, uma tomada com dois pólos é suficiente. O fio terra do aparelho (que obrigatoriamente deve ser verde ou verde-amarelo e que fica normalmente no fundo do equipamento) deve ser ligado diretamente ao fio terra da rede.

Alguns aparelhos elétricos não precisam de fio terra, Eles são construídos de tal forma que a corrente “fugitiva” não cause risco às pessoas. Para a sua ligação é usada uma tomada com apenas dois pólos, um para o fio fase e outro para o fio neutro.

O fio fase e o neutro são aqueles que levam a energia para os aparelhos. Por norma, a cor do fio neutro é obrigatoriamente azul. O fio fase pode ser vermelho, branco ou marrom.

 

Como os raios interferem na rede elétrica e como proteger os eletrônicos da casa

Quando um raio atinge a rede elétrica durante uma tempestade, ele “percorre” as fiações até encontrar um aterramento onde será descarregado no solo. Se esse relâmpago atingir a rede elétrica próxima a sua residência, ele irá despejar uma enorme descarga com valores muito acima dos suportados pelos aparelhos e até mesmo pela própria fiação. Em alguns casos, o raio pode destruir toda a fiação elétrica e aparelhos da casa.

O que acontece é que, mesmo atingindo regiões distantes, o raio pode percorrer grandes extensões da fiação elétrica, uma grande condutora de energia. Nesse caso, sem nenhuma proteção, a grande variação de tensão e ampéres pode destruir facilmente qualquer dispositivo eletrônico plugado nas tomadas.

Contudo, existe solução. Atualmente, é obrigatório no Brasil o aterramento da fiação elétrica em residências. O aterramento consiste na instalação de um cabo de cobre no solo, de modo que ele possa descarregar tensões atmosféricas, estáticas e facilitar o funcionamento de dispositivos de proteção, como disjuntores.

Nesses casos, a instalação de um DPS irá complementar o aterramento, fornecendo mais segurança contra surtos e raios. O DPS é um equipamento contra surtos na rede elétrica que protege tanto contra raios como variações de tensão.

 

DPS

Instalar um DPS é importante no aterramento de uma residência (Foto: Reprodução/Siemens)

 
Ele parece com um disjuntor e sua instalação também ocorre de maneira quase idêntica. Há dois tipos básicos de DPS, geral e individual. O DPS de uso geral, normalmente é colocado próximo à caixa de distribuição de energia da casa. Já o DPS individual é colocado unicamente em uma tomada.

Pela facilidade de instalação, a grande maioria dos consumidores opta por colocar o DPS próximo à caixa de distribuição, protegendo assim, todas as tomadas de energia da casa de uma única vez. A instalação de um DPS deve ser realizada por um eletricista e não é de obrigação da concessionária de energia elétrica, ficando a cargo do consumidor. Geralmente o eletricista irá instalar vários aparelhos DPS, um para cada “fase”.

Caso um raio atinja a rede elétrica perto da sua casa ou apartamento, o DPS irá cortar o circuito, impedindo o raio de ser conduzido pela fiação fazendo-o percorrer o caminho mais fácil, que é justamente o do aterramento.

 

DPS, em vermelho, instalado no quadro geral de distribuição elétrica de uma residência (Foto: Reprodução/Volts Engenharia Elétrica)

DPS, em vermelho, instalado no quadro geral de distribuição elétrica de uma residência (Foto: Reprodução/Volts Engenharia Elétrica)

 
O conjunto DPS e aterramento permite ao usuário utilizar os equipamentos eletrônicos durante temporais com uma boa margem de segurança. O DPS é uma solução barata e simples que permite um nível de segurança que antes não era possível. Porém é válido lembrar, que um bom aterramento pode ajudar a descarregar a alta tensão na terra e não em seus equipamentos.

 

Começou a relampejar e não sei se na minha residência tem DPS ou aterramento, o que eu faço?

Imagine a seguinte situação: começou a chover forte, faltou energia e relâmpagos e trovões podem ser percebidos com muita intensidade. Se você não tem certeza se sua casa possui aterramento ou DPS, retirar os aparelhos da tomada é uma solução antiga, mas ainda válida.

Caso um raio chegue muito próximo à sua residência e percorra a rede elétrica, essa medida protegerá os seus equipamentos eletrônicos.

 

Não se esqueça do modem e do telefone fixo

Outra dica válida durante temporais com muitos relâmpagos é desconectar o modem da linha telefônica. Descargas elétricas naturais percorrem também a rede de telefonia fixa, e como a mesma não possui qualquer proteção contra raios, tanto seu telefone fixo quanto seu modem estariam vulneráveis

     

Fonte: TechTudo, Marido de Aluguel Curitiba

     

Este conteúdo foi útil? Compartilhe!
(Este conteúdo foi visitado 1.670 vez(es) | 1 visita(s) hoje)
Você também pode ser interessar por:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>